Diante da Porta Estreita – Temendo crer

5421_426493534107643_1394674987_nCompre a versão impressa AQUI

ISSO É UM OFENSIVO PRODUTO da nossa natureza doente: o medo de crer. Eu já me encontrei com ele tantas e tantas vezes que desejo nunca mais me deparar com ele de novo. Parece humildade e tenta passar-se como modéstia pela própria alma e, ainda assim, é um orgulho infame. De fato, é a presunção encenando a hipocrisia. Se os homens tivessem medo de descrer, haveria boa razão neste medo, mas ter medo de confiar em seu Deus é na melhor das hipóteses um absurdo e, verdadeiramente, um modo enganoso de recusar ao Senhor a honra que Ele merece por Sua fidelidade e verdade.

Quão inútil é a diligência que se ocupa em achar para si motivos pelos quais a fé, em nosso caso, não seria salvadora! Temos a palavra de Deus sobre isso, que todo aquele que crer em Jesus não perecerá e buscamos argumentos pelos quais nós deveríamos perecer. Se qualquer um me desse um presente, eu, certamente, não começaria a levantar questões. Qual seria a utilidade de inventar razões pelas quais eu não deveria ser dono da minha própria casa ou possuir qualquer outra propriedade da qual posso usufruir? Se o Senhor se satisfez em salvar a mim pelo mérito de Seu amado Filho, certamente devo estar feliz em ser salvo. Se eu ouvir a Deus em Sua palavra, a responsabilidade de cumprir Sua promessa não está em mim, mas com Deus, que fez a promessa.

Mas você tem medo de que não pode ser um daqueles para quem a promessa se ​​destina. Não se assuste com essa suspeita infundada. Nenhuma alma nunca veio a Jesus de forma errada. Ninguém pode vir realmente se o Pai não o trouxer e Jesus disse: “E o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora”. Nenhuma alma jamais se segura em Cristo e se perde, pois aquele que tem a Jesus, O tem por direito Divino; pois o Senhor dá a Si mesmo por nós e para nós. Isso é tão gratuito, que toda alma que o receber tem um direito dado graciosamente para fazê-lo. Se você se segurar na orla das vestes de Jesus, sem soltar, e ir atrás Dele, virtude fluirá Dele para você, tão certamente quanto se Ele tivesse lhe chamado pelo nome e o convidado a confiar Nele. Mande embora todo medo quando confiar no Salvador. Receba a Jesus e lhe dê boas vindas. Aquele que crê em Jesus é um dos eleitos de Deus.

Você sugere que seria algo terrível confiar em Jesus e ainda assim perecer? Seria mesmo. Mas, como você pereceria se não confiasse, o risco de algo pior não é grande.

“Eu posso mesmo perecer se eu for;

Estou resolvido a tentar;

Porque se eu ficar longe

Devo morrer para sempre.”

Suponha que você esteja no Pântano do Desespero para sempre. O que seria bom nisso? Certamente, seria melhor morrer lutando pelas ruas do Rei que vão à Cidade Celestial do que afundando cada vez mais profundamente na lama e na sujeira dos pensamentos escuros e desconfiados! Você não tem nada a perder, pois já perdeu tudo. Portanto, esqueça tudo e ouse acreditar na misericórdia de Deus para você, mesmo para você.

Mas alguém resmunga, “e se eu for a Cristo e Ele me recusar?”. Minha resposta é: “tente”. Atire-se ao Senhor Jesus e veja se Ele recusa você. Você seria o primeiro para quem Ele fecharia a porta da esperança. Amigo, não atravesse a ponte até que você tenha chegado a ela! Quando Cristo o lance fora, será o tempo correto para o desespero, mas este tempo nunca chegará. “Esse homem recebe pecadores”. Ele não começou a lançá-los fora.

2222Você nunca ouviu falar do homem que se perdeu uma noite e chegou à beira do precipício e, em pensamento e em sua própria apreensão caiu do penhasco? Ele se agarrou a uma árvore velha, se firmou ali agarrado ao seu frágil apoio com toda a vontade. Ele estava persuadido de que, deixando seu suporte, ele seria feito em pedaços em alguma terrível rocha que o esperava abaixo. Ali ele ficou, com suor na testa e a angústia em cada membro do corpo. Ele passou a um estado desesperado de febre e desmaio e, então, seus braços não podiam mais suportar seu corpo. Ele relaxou! Ele caiu do suporte! Ele caiu por cerca de uns trinta centímetros, mas foi recebido por um banco fofo de areia, onde ele ficou sem nenhum ferimento e perfeitamente seguro até chegar a manhã. Assim, na escuridão da sua ignorância, muitos pensam que a destruição certa os aguarda se eles confessarem seus pecados, desistirem da esperança em si mesmos e se entregarem nas mãos de Deus. Eles estão com medo de deixar a esperança que eles ignorantemente agarram. É um medo inútil. Deixe de se agarrar a tudo, menos Cristo, e caia. Caia de toda a confiança em obras, orações ou sentimentos. Caia de uma vez! Caia agora! Macio e seguro é o monte que recebe você. Jesus Cristo, em Seu amor e na eficácia do Seu precioso sangue, em Sua justiça perfeita, lhe dará imediatamente paz e descanso. Pare de confiar em si mesmo. Caia nos braços de Jesus. Essa é a maior parte da fé: desistir de qualquer outra segurança e, simplesmente, cair em Cristo. Não há razão para medo, pois só a ignorância lhe aterroriza com aquilo que será a sua segurança eterna. A morte da esperança carnal é a vida da fé e a vida da fé dura para sempre. Deixe o “eu” morrer, para que Cristo viva em você.

Mas, o principal é que, pelo ato único de ter fé em Jesus, não podemos segurar em nossa humanidade. Ela vai fazer qualquer coisa antes de nos deixar acreditar. Ela luta para que tenhamos vergonha de crer e teme a fé como se fosse um monstro. Oh! Tolos medrosos, quem enganou vocês? Vocês temem aquilo que lhes seria a morte do seu medo e o começo da alegria. Por que vocês pereceriam ao preferirem perversamente outros caminhos que não aquele que Deus mesmo apontou como o plano de salvação?

Que erro! Há muitas, muitas almas que dizem: “somos convidados a confiar em Jesus, mas ao invés disso atenderemos aos meios da graça regularmente”. Compareçam ao louvor público de todas as formas, mas não como substituto da fé ou ela será uma confiança vã. O mandamento é: “creia e viva”. Atenda a isso, mais do que qualquer outra coisa que fizer. “Bom, eu vou ler alguns bons livros e talvez eu me torne bom dessa forma”. Leia bons livros mesmo, mas esse não é o evangelho; o evangelho é: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo”. Suponha que um médico tem um paciente sobre seus cuidados e diz a ele: “Você tem de tomar um banho pela manhã, pois isso o ajudará muito a curar sua doença.” Mas o homem toma um copo de chá pela manhã ao invés do banho e diz: “Isso servirá também, não tenho dúvida”. O que dirá seu médico quando perguntar: “Você seguiu minha orientação?”. “Não, não segui”, responde o paciente. “Você não espera, é claro, que haverá qualquer proveito para as minhas visitas, já que não se esforça por obedecer meu direcionamento”. Assim nós, praticamente, dizemos a Jesus Cristo quando nos sondamos: “Senhor, eu mal confio em ti, mas eu logo farei outra coisa! Senhor, eu quero ter fortes arrependimentos; eu quero ser sacudido na boca do inferno; eu quero estar alarmado e oprimido!”. Sim, você quer qualquer coisa, menos aquilo que Cristo prescreve para você, que é simplesmente confiar Nele. Sinta você ou não vontade, jogue-se Nele e, assim, Ele salvará você, somente Ele. “Mas você não quer mesmo dizer que é contra a oração ou a ler bons livros ou coisa semelhante?”. Eu não disse uma única palavra contra essas coisas, mas se eu fosse o médico que citei e eu deveria falar algo contra o homem que bebeu o chá. Poderia deixá-lo beber o chá, mas somente se ele não apenas toma o chá ao invés de tomar o banho que lhe é prescrito. Deixem os homens orarem, pois quanto mais, melhor será. Deixem os homens examinarem as Escrituras. Todavia, lembre-se: se essas coisas estiverem no lugar da simples fé em Cristo, a alma será arruinada. Tomem cuidado para que o Senhor não diga a respeito de vocês: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida”.

abetoVenha pela fé a Jesus, pois sem Ele você perecerá para sempre. Vocês já notaram como um abeto[1] se agarrará entre as rochas que parecem não oferecer nenhuma segurança? Ela envia uma raiz a cada pequena rachadura que se abre. Firma-se mesmo nas rochas nuas como se fosse uma grande garra de pássaro; segura firme e se agarra à terra com dezenas de âncoras. Nós, frequentemente, vemos árvores assim firmadas e presas a destacadas massas de rocha exposta. Agora, querido coração, deixe essa ser uma figura de si mesmo. Agarre-se à Rocha das Eras. Com a raiz da pouca fé, prenda-se a Ele. Deixe aquela pequena folga crescer e, enquanto isso, envie outra para segurar em outro lugar da mesma Rocha. Abrace a Jesus e prenda-se em Jesus. Cresça dentro Dele. Misture as raízes da sua natureza e as fibras do seu coração sobre Ele. Ele está tão disponível a você como as rochas estão para o abeto. Esteja tão firmemente amarrado Nele como o pinheiro no lado da montanha.


[1] Abeto é o nome popular de diversos tipos de pinheiros nativos de florestas temperadas da Europa, Ásia e América do Norte.

______________________________

“Diante da Porta Estreita” é uma tradução do site Projeto Spurgeon – Proclamando a Cristo Crucificado. Proibida a reprodução desse material sem citar o Projeto e proibida a venda em material impresso. Permitida a divulgação na net.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *