Diante da Porta Estreita – Fé na Pessoa do Senhor Jesus

5421_426493534107643_1394674987_nCompre a versão impressa AQUI

HÁ UMA INFELIZ tendência entre os homens de deixar o próprio Cristo fora do evangelho. Eles, provavelmente, devem deixar farinha fora do pão. Os homens ouvem sobre o caminho da salvação e entendem que ele é originado nas Escrituras, e de todas as formas corresponde com a necessidade deles. Mas, os homens se esquecem de que um plano não tem utilidade se não for realizado; assim, em matéria de salvação a sua própria fé pessoal no Senhor Jesus é essencial. Uma rua para York não me levará lá, eu mesmo devo andar por ela. Toda doutrina santa que foi crida nunca salvará um homem a não ser que ele ponha sua confiança no Senhor Jesus por si mesmo.

O Sr. MacDonald perguntou aos habitantes da ilha de St. Kilda, na Escócia, como um homem poderia ser salvo. Um ancião respondeu: “Seremos salvos se nos arrependermos, odiarmos nossos pecados, e nos voltarmos para Deus”. “Sim”, disse uma mulher de meia idade, “e com um coração verdadeiro também”. “Ah”, disse um terceiro, “e com oração”; e, adicionou um quarto, “deve ser a oração do coração”. “E devemos ser cuidadoso também em guardar os mandamentos”, disse um quinto. Assim, cada um que contribuiu com sua parte, sentindo que um credo muito decente tinha se formado, estavam buscando e esperando ouvir a aprovação do pregador; mas eles lhe suscitaram a maior pena: ele tinha de começar do começo, e pregar a Cristo para eles. A mente carnal sempre busca para si mesma um caminho pelo qual pode trabalhar e se tornar grande, entretanto, o caminho do Senhor é o oposto. O Senhor Jesus o apresenta de forma sucinta em Marcos 16:16: “Quem crer e for batizado será salvo”. Crer e ser batizado não são assuntos de mérito ou de receber glória, mas são tão simples que o orgulho é excluído e a graça gratuita segura o troféu. Esse caminho de salvação foi escolhido por mostrar ser por graça somente. Pode ser que o leitor não seja salvo: qual a razão? Você pensa ser duvidoso o caminho da salvação que citamos? Você teme não ser salvo se você o seguir? Como pode ser isso se, para você ter certeza, Deus jurou pela Sua própria Palavra? Como pode falhar aquilo que Deus prescreve, de acordo com o que Ele promete? Você acha fácil demais? Por que, então, você não o atende? Sua facilidade deixa aqueles que negligenciam esse caminho sem desculpa. Se você tivesse que fazer algo grande, não seja tão tolo a ponto de negligenciar as pequenas coisas. Crer é confiar ou inclinar-se sobre Cristo Jesus; em outras palavras, deixar de lado a confiança em si mesmo e confiar no Senhor Jesus. Ser batizado é se submeter à ordenança que nosso Senhor cumpriu no Jordão, à qual os convertidos se submeteram no Pentecostes, à qual o carcereiro ofereceu obediência na mesma noite da sua conversão. É a confissão externa que sempre deve acompanhar a fé interna. O sinal exterior não salva, mas coloca diante de nós a nossa morte, sepultamento e ressurreição com Jesus, e, assim como a ceia do Senhor, não deve ser negligenciado.

O grande ponto é crer em Jesus e confessar sua fé. Você crê em Jesus? Então, querido amigo, mande embora seus medos, você será salvo. Você ainda é um incrédulo? Então, lembre-se: só há uma porta e se você não entrar por ela, você perecerá em seus pecados. A porta está lá, contudo, a menos que você entre por ela, que uso ela tem pra você? É necessário que você obedeça ao mandamento do Evangelho. Nada pode salvá-lo se você não ouvir a voz de Jesus e acatar ao Seu convite de fato e de verdade. Pensar e resolver não responderão ao propósito, você tem que fazer a coisa real, pois somente se você acreditar, você, realmente, viverá para Deus.

Eu ouvi sobre um amigo que desejava profundamente levar à conversão um jovem e alguém disse para ele: “Você pode ir até ele, e falar com ele, mas não o fará ir além, pois ele está muito familiarizado com o plano da salvação”. Era eminentemente o caso e, assim, quando nosso amigo começou a falar com o jovem, ele recebeu como resposta, “Eu lhe agradeço muito, mas eu não sei o que você pode me ensinar a mais, pois há muito tempo que eu sei e admiro o plano da salvação pelo sacrifício substitutivo de Cristo”. Erro! Ele estava descansando no plano, mas não havia crido na Pessoa. O plano da salvação é muito abençoado, mas de nada nos vale até que nós, pessoalmente, creiamos no próprio Senhor Jesus Cristo. Qual é o conforto de uma planta de uma casa se você não entrar por si mesmo nela? O homem na figura, que está sentado na chuva, não está recebendo muito conforto das plantas que estão diante dele.

Diante 5,1

Que bem há no plano de um vestido se você não tem sequer um trapo com que se vestir? Você nunca ouviu do chefe árabe do Cairo, que estava muito doente e foi ao missionário e o missionário lhe disse que poderia lhe dar uma receita médica? Ele o fez e uma semana depois ele achou o árabe nada melhor. “Você tomou minha prescrição?”, ele perguntou. “Sim, eu comi cada pedaço do papel”. Ele achava que seria curado por devorar a receita do médico, ao qual eu posso chamar de plano da medicina. Ele deveria ter obedecido à prescrição e, então, isso lhe teria feito bem, mas somente se ele tivesse tomado o remédio: engolir a receita não poderia jamais tê-lo feito bem. É assim também com a salvação: não é o plano da salvação que pode salvar, mas é o exercer aquele plano da salvação pelo qual o Senhor Jesus morre por nós e nós o aceitamos. Debaixo da Lei dos judeus, o ofertante trazia um novilho, e punha suas mãos sobre ele: não era imaginação, teoria ou plano. Na vítima do sacrifício ele achava algo substancial, algo que ele podia carregar e tocar. Assim, também, confiamos no real e verdadeiro trabalho de Jesus, que é a coisa mais substancial debaixo dos céus. Nós vamos ao Senhor Jesus pela fé e dizemos: “Deus providenciou um sacrifício aqui e eu o aceito. Eu acredito no fato completado na cruz; eu estou confiante que o pecado foi descartado por Cristo e eu descanso nEle”. Se você quiser ser salvo, você deve ir além da aceitação de planos e doutrinas para um descanso na pessoa divina e na obra completa do Senhor Jesus Cristo. Querido leitor, você quer ter a Cristo agora?

Jesus convida todos os cansados e sobrecarregados a vir a Ele, e Ele lhes dará descanso. Ele não promete isso para que eles meramente pensem sobre Ele. Eles devem VIR e devem vir a ELE, e não meramente à igreja, ao batismo, à fé ortodoxa ou a qualquer coisa menos que Sua pessoa divina. Quando a serpente de bronze foi levantada no deserto, as pessoas não deviam olhar para Moisés, nem para o tabernáculo, nem para a coluna de nuvem, mas para a própria serpente de bronze. Olhar não era o suficiente até que olhassem para a coisa certa e a coisa certa não era o suficiente até que eles olhassem. Não era suficiente que eles soubessem da serpente de bronze; cada um deles deveria olhar para ela por si mesmo. Quando um homem fica doente, ele pode ter um ótimo conhecimento de medicina e, ainda assim, morrer se ele não tomar o remédio recomendado. Temos de receber a Jesus, pois “todos quanto o receberam, deu-lhes o poder de serem chamados filhos de Deus”. Coloco a ênfase em duas palavras: temos de receber ELE e temos de RECEBER ele. Temos que abrir totalmente a porta e fazer a Cristo Jesus entrar, pois “Cristo em vós” é “a esperança da glória”. Cristo não pode ser um mito, um sonho, nem um fantasma para nós, mas um homem real e verdadeiramente Deus. Nossa recepção a Ele não deve ser uma aceitação resignada e forçada, mas o consenso e a aprovação feliz e de coração da alma na qual Ele deve ser tudo em nossa salvação. Não viremos de uma vez a Ele e o tornaremos nossa única confiança exclusiva?

A pomba é caçada pelo falcão, e não acha segurança de seu inimigo incansável. Ela aprendeu que há para ela um abrigo numa fissura de uma rocha e voa para lá com voo agradável. Uma vez que esteja totalmente protegida em seu refúgio, não teme o predador. Mas, se ela não se escondesse na rocha, seria dominada por seu adversário. A rocha seria inútil à pomba, se a pomba não entrasse em sua fissura. Todo o corpo deve estar escondido na rocha.  Ainda que dez mil outros pássaros achassem lá um forte, esse fato não salvaria a única pomba que é agora perseguida pelo falcão! Ela deve por a si mesma inteira dentro do abrigo, e se enterrar no refúgio ou sua vida será ceifada e destruída.

Diante 5,2

Que imagem de fé é esta! É entrando em Jesus, se escondendo em Suas feridas que nos salvamos.

“Rocha das Eras, fenda pra mim,

Deixe-me esconder-me em Ti”

            A pomba está fora de visão: apenas a rocha é vista. Assim faz a alma culpada, pela fé, lançando-se para o lado ferido de Jesus, e é escondida com Ele fora da visão da justiça vingativa. Mas deve haver uma aplicação pessoal a Jesus como abrigo e isso mostra que, de tanto adiarmos entrar nEle, temendo morrer, é que morremos em “nossos pecados”. Que triste palavra é esta! Foi isso que nosso Senhor falou para os judeus incrédulos e Ele diz o mesmo para nós agora: “Se não credes que EU SOU, morrereis em vossos pecados”. Faz tremer o coração pensar que alguém irá ler estas linhas e, ainda assim, será a miserável pessoa que perecerá. Que o Senhor evite isso por Sua grande graça!

            Eu ouvi, outro dia, uma notável figura, que usarei como uma ilustração do caminho da salvação pela fé em Jesus. Um ofensor cometeu um crime pelo qual ele deveria morrer, mas isso foi há muito tempo, quando as igrejas eram consideradas santuários onde os criminosos podiam se esconder e, assim, escapar da morte. Veja o transgressor! Ele corre para a igreja, os guardas o perseguem com suas espadas em punho, exigindo seu sangue! Eles o seguem até a porta da igreja. Ele apressa o passo e, justo quando eles estão para pegá-lo e fazê-lo em pedaços na entrada da igreja, dali sai o Bispo e, segurando a cruz, ele diz, “para trás, para trás! Não manchem os arredores da casa de Deus com sangue! Para trás!” Os fortes soldados respeitam o emblema e se retiram, enquanto o pobre fugitivo se esconde atrás do manto do Bispo. É assim também com Cristo: o pecador culpado voa direto para Jesus e, por mais que a Justiça o persiga, Cristo levanta Suas mãos feridas e clama à Justiça: “Para trás! Eu abrigo este pecador. No lugar secreto do meu tabernáculo eu o escondo. Não o deixarei perecer, pois ele coloca sua confiança em mim”. Pecador, voe para Cristo! Mas você responde: “Eu sou muito vil”. Quanto mais vil você for, mais você O honrará ao crer que Ele pode mesmo proteger você. “Mas eu sou um pecador tão grande”. Então, mais honra será dada a Ele se você tiver fé para confiar nEle, apesar de ser um grande pecador. Se você estiver um pouco doente, e você disser ao seu médico: “Senhor, eu estou confiante em suas habilidades para curar”. Não há grande elogio em sua declaração. Qualquer um pode curar uma dor de dedo ou uma febre insignificante. Mas, se você está muito doente, com uma complicação de doenças que duramente lhe atormentam e você disser: “Senhor, eu não procurei nenhum médico melhor e não procurarei nenhum conselho que não seja o seu. Eu me confio alegremente a você”. Veja que honra você lhe conferiu, alegando que pode confiar sua vida em suas mãos mesmo durante um perigo extremo e imediato! Faça o mesmo com Cristo: deixe sua alma a Seus cuidados e faça-o deliberadamente e sem dúvidas. Ouse deixar todas as outras esperanças e arrisque tudo em Jesus. Eu digo “arrisque”, mas não há nada realmente arriscado nisso, pois Ele é abundantemente capaz de salvar. Entregue-se simplesmente a Jesus e não deixe que nada além da fé esteja em sua alma concernente a Jesus. Creia nEle e confie nEle, pois, assim, você nunca será envergonhado de sua confiança, porque “Aquele que nEle crê não será envergonhado[1]” (I Pe 2:6).


[1] N. do T.: Preferi traduzir do inglês para manter o sentido original.

______________________________

“Diante da Porta Estreita” é uma tradução do site Projeto Spurgeon – Proclamando a Cristo Crucificado. Proibida a reprodução desse material sem citar o Projeto e proibida a venda em material impresso. Permitida a divulgação na net.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *