A Dica do Labirinto: Outras Causas da Descrença

C.H.Spurgeon

COMPRE A VERSÃO IMPRESSA AQUI 

Capitulo 20: OUTRAS CAUSAS DA DESCRENÇA.

No seu íntimo, todos os homens depositam a sua confiança em alguma coisa, ainda que recusem confiar em Deus. Eles fazem a si mesmos deuses, repousando em sua auto-suficiência. Aquele que nunca viu o seu rosto pode facilmente acreditar na sua inigualável beleza, ainda mais se for auxiliado por bajuladores. Então, um homem que não conhece o seu próprio coração pode facilmente formar uma opinião muito elevada de sua própria excelência e encontrar demasiada confiança em sua sabedoria, a qual irá se expandir como uma planta de rápido crescimento. Este é um dos piores inimigos da fé, pois aquele que sempre confia em si mesmo não tem paciência quando o assunto é a própria fé em Deus. Por ser muito refinado, ele relega aquilo que é humilde aos subalternos. Seu domínio próprio é perfeito, seu julgamento é infalível, sua apreciação do moralmente belo é completamente sofisticada. Ele é um homem auto-criado, sendo, ao mesmo tempo, a sua própria Providência e Recompensa.

“O homem é um tolo!” Mentes rápidas e sensatas falam impacientemente e suas gélidas observações do amor confirmam, com tristeza, o seu veredito. Nós, com quem o leitor agora compartilha, não somos grandes e infalíveis em nosso auto-governo. Tememos que nossos apetites e paixões carnais possam nos trair; que nossa razão venha a nos desencaminhar; que nossos preconceitos nos aplaquem; que nosso ambiente nos faça tropeçar. É dessa forma que deliberadamente desejamos fixar os nossos olhos naquele que é Forte a fim de encontrarmos força e podermos lançar a nossa loucura sobre a sabedoria do Eterno. É claro que não se deve esperar imitadores entre os vãos dos gloriosos, dos fúteis e dos iludidamente perfeitos.

______________

Livro A Dica do Labirinto: Considerações profundas sobre a fé e a dúvida
Tradução: Wesley Carvalho

Direitos reservados: Projeto Spurgeon – Proclamando a Cristo crucificado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *