A Dica do Labirinto: O Desprezo

C.H.Spurgeon

COMPRE A VERSÃO IMPRESSA AQUI 

Capitulo 21: O DESPREZO.

A zombaria não passa de miséria e insignificância. Ela não nasce no peito dos bons homens e os mais sábios a desprezam quando essa os importuna. Ela não quebra nenhum osso e os homens de coragem dão risadas dela. No entanto, quando atinge os mais fracos é uma terrível arma de guerra, e o pavor dela tem feito mais covardes do que o rugido do canhão.

Quando as pessoas desprezam a fé em Deus tornam-se miseráveis, beirando o mais alto grau de imbecilidade. Ao confiarmos em um charlatão somos perdoados, mas ao confiarmos no Todo-Poderoso somos insultados. Pessoas que nunca questionaram a sua própria sabedoria riem com desdém daqueles que descansam na sabedoria do Senhor. Em tais casos, porém, deveria ser fácil para um homem de bom senso se postar com bravura. Rir de uma criatura por crer em seu Criador é desprezar o argumento mais simples da razão. É como contestar uma hipótese óbvia ou atacar uma evidência. É como ridicularizar um homem de precisão matemática pela honestidade; ou desprezar um engenheiro por confiar nas leis da gravidade; ou escarnecer de um agricultor por esperar o retorno de sua colheita. É claro que se os homens gostam de serem escravos, eles darão ouvidos à zombaria dos tolos, porém nós escrevemos para homens que podem dizer de coração:

Direi que preferira não viver, a viver sempre com medo de um ser tal como sou*.

* Julio César – William Shakespeare – Ato 1, Cena 2.

______________

Livro A Dica do Labirinto: Considerações profundas sobre a fé e a dúvida
Tradução: Wesley Carvalho

Direitos reservados: Projeto Spurgeon – Proclamando a Cristo crucificado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *