A Espada do Espírito

nº2201

Sermão pregado na manhã de Domingo, 19 de abril de 1891

Por Charles Haddon Spurgeon,

No Tabernáculo Metropolitano, Newington, Londres.

BAIXE O SERMÃO EM PDF

“Tomai a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus” Efésios 6:17

Ser um cristão é ser um guerreiro. O bom soldado de Cristo não deve esperar tranquilidade neste mundo – ele é um campo de batalha! Nem deve ele se apoiar na amizade com o mundo, pois isso seria inimizade contra Deus. Sua ocupação é a guerra. Enquanto ele põe, peça por peça, a armadura que lhe foi dada, ele deve sabiamente dizer a si mesmo: Isso me avisa do perigo; isso me prepara para a batalha; isso profetiza oposição.

Dificuldades nos encontram mesmo quando estamos guardando posição, pelo que o apóstolo, duas ou três vezes, nos exorta – “Resistam“. Na agitação da batalha, os homens podem perder suas próprias pernas. Se eles conseguem se manter marchando, eles sairão vitoriosos, mas se eles pararem pela ferocidade de seus adversários, tudo está perdido. Você tem de colocar a armadura celestial para poder permanecer. E você irá precisar dela para manter a posição em que o seu Capitão lhe colocou. Se mesmo para permanecer exige-se todo esse cuidado, julguem vocês como deve ser a guerra! O apóstolo também fala de resistir tanto quanto permanecer. Não devemos somente nos defender, mas também atacar. Não é o suficiente que você não seja conquistado, você deve conquistar e, por causa disso, nós descobrimos que nós temos de usar, não somente um capacete para proteger a cabeça, mas também uma espada com que atormentar o inimigo. O nosso conflito é severo, permanecendo e resistindo – e nós precisaremos de toda a armadura da indumentária Divina, toda a força do grande Deus de Jacó!

Está claro em nosso texto que a nossa defesa e nossa conquista devem ser obtidos por dura luta. Muitos tentam um meio-termo, mas se você é um verdadeiro cristão, você nunca fará bem essa negociação. A linguagem do enganador não fica bem na língua santa. O adversário é o pai da mentira e aqueles que estão com ele entendem a arte da enganação, mas santos a abominam. Se discutimos termos de paz e tentamos ganhar algo por diplomacia, entramos num curso do qual devemos retornar em desgraça. Não temos nenhuma ordem do nosso Capitão de trilhar um acordo e tentar conseguir os melhores termos que pudermos. Não somos enviados para oferecer concessões! É-nos dito que se cedermos um pouco, talvez o mundo ceda um pouco, também, algum bem pode vir disso. Se não formos tão estritos e fechados, talvez o pecado irá gentilmente consentir em ser mais decente. Nossa associação com ele o prevenirá de ser tão descarado e atroz. Se não formos tão bitolados, nossa doutrina inteira cairá com o mundo e aqueles do outro lado não serão tão sequiosos pelo erro como são agora. De modo nenhum! Certamente essa não é a ordem que nosso Capitão ordenou. Quando a paz for para ser feita, Ele a fará, Ele mesmo, ou Ele nos dirá como proceder até este fim. Mas no presente nossas ordens são bem diferentes.

Nem devemos esperar vencer sendo neutros, ou dando ocasionalmente uma trégua. Não devemos sair do conflito e tentarmos ser o mais agradáveis que pudermos com os inimigos de nosso Senhor, frequentando suas assembléias e provando suas delicadezas. Nenhuma ordem desse tipo está escrita aqui. Vocês devem agarrar suas armas e ir em frente para lutar.

Nem vocês devem, como em um sonho, vencer a batalha por acidente. Nenhum homem foi jamais feito santo por uma chance feliz. Dano infinito será feito por excesso de descuido, mas nenhum homem jamais venceu a batalha da vida por descuido. Deixar as coisas acontecerem é deixar que elas nos arrastem até o inferno. Não temos ordens de ficarmos parados e cuidarmos dos problemas sem seriedade. Não, temos que orar em todo o tempo e vigiar em todo o tempo. O tom que é dado fortemente neste texto é esse – TOMAI A ESPADA! TOMAI A ESPADA! Não é mais hora para conversa ou debate! Nada mais de conferências de paz e acordos com o inimigo! A palavra do trovão é – Tomai a espada. A voz do capitão é clara como um trompete – Tomai a espada! Nenhum cristão aqui terá sido obediente a nosso texto a não ser que, com clara, definida e decisiva firmeza, coragem e resolução, ele tome a espada! Nós devemos ir para os céus com uma espada na mão, por todo o caminho. “TOMAI A ESPADA.” Nesse mandamento eu gostaria de discorrer. Que o Espírito Santo me ajude!

Vale à pena observar que há apenas uma arma de ataque a nós providenciada, apesar de existirem várias peças de armadura. O soldado romano normalmente carregava uma lança, não só uma espada. Temos visto frequentes representações do legionário mantendo guarda como vigia e ele quase sempre está de pé com uma lança na mão direita, enquanto sua espada está guardada no seu cinto. Mas Paulo, por excelentes razões, concentra nossa arma ofensiva em uma, pois ela responde por todas as nossas necessidades de ataque. Nós vamos usar a espada e ela somente. Além do mais, se você está indo para essa luta, preste bastante atenção para sua única arma. Se você não terá nenhuma outra, tome o cuidado de que você sempre a tenha à mão. Deixe a voz do capitão ressoar no seu ouvido, “Tomai a espada! Tomai a espada!” e então siga em frente para o campo.

Note, primeiramente, que a espada que você irá levar é a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Esse é nosso primeiro ponto e o segundo está igualmente à vista no texto – Essa espada é para ser nossa. Somos ordenados a tomar a espada do Espírito e fazê-la nossa própria espada.

 

I. Primeiro, a Palavra de Deus que deve ser nossa única arma é de origem nobre, pois ELA É “A ESPADA DO ESPÍRITO.” Tem as propriedades de uma espada, e essas foram dadas pelo Espírito de Deus.

Aqui notamos que o Espírito Santo possui uma espada. Ele é quieto como o orvalho, gentil como o óleo da unção, macio como o vento da noite e pacífico como uma pomba. E ainda, sobre outro aspecto, Ele maneja precisamente uma arma mortal. Ele é o Espírito de julgamento e o Espírito de fogo consumidor e Ele segura a espada, não em vão. Dele deve ser dito, “O SENHOR é homem de guerra; o SENHOR é o seu nome. (Êxodo 15:3) “.

A Palavra de Deus na mão do Espírito fere terrivelmente e faz o coração do homem sangrar. Vocês não se lembram, alguns de vocês, quando costumavam ser cortados profundamente por essa Espada domingo após domingo? Não foram vocês cortados até o coração por ela, até ficarem irados com ela? Vocês quase se decidiram por dar as costas para não ouvirem o Evangelho de novo. Essa espada perseguiu vocês e penetrou nos segredos das suas almas – e fez vocês sangrarem em vários lugares. Afinal vocês foram despedaçados no coração, o que é muito melhor que ter o “coração cortado” – e então a execução estava feita, acabada! Aquela ferida foi mortal e ninguém senão Ele que o matou poderia fazê-lo viver! Você se lembra como, depois disso, seus pecados foram violentamente assassinados, um após o outro? Seus pescoços rolaram pelo caminho e o Espírito agiu como um executor com Sua espada. Depois disso, bendito seja Deus, seus medos, dúvidas, desespero e incredulidade foram igualmente golpeados e reduzidos a pedaços por essa mesma espada. A Palavra lhes deu vida! Mas foi, no começo, uma grande assassina. Sua alma era como um campo de batalha depois de uma grande luta, debaixo da operação do Espírito Divino, cuja espada não voltou vazia do conflito.

Amado, o Espírito de Deus está em guerra com a nação do mal e do erro de geração em geração. Ele não poupará nenhum mal que agora polui as nações. Sua espada nunca se aquietará até que todos esses cananitas sejam destruídos. O Espírito Santo glorifica Cristo não só pelo que Ele revela, mas também pelo que Ele transforma. O conflito pode ser fatigante, mas será levado adiante de era em era, até que o Senhor Jesus apareça, pelo que o Espírito de Deus deve sempre esposar a causa do amor contra o ódio, da Verdade de Deus contra o erro, da santidade contra o pecado, de Cristo contra Satanás! Ele vencerá definitivamente, e aqueles que estiverem com ele devem, em Sua influência, ser mais que vencedores. O Espírito Santo proclamou guerra e maneja habilidosamente uma espada de dois gumes.

O Espírito Santo não maneja precisamente nenhuma outra espada que não a Palavra de Deus. Esse livro maravilhoso, que contém as proclamações da boca de Deus, é a única arma que o Santo Espírito elegeu para Seu propósito bélico. É uma arma espiritual e assim é adequada para o Santo Espírito. As armas da sua luta não são carnais – Ele nunca usa nem inquisição nem paternalismo, força ou suborno, grandes superficialidades, ou terror do poder. Ele trabalha nos homens pela Palavra, que se conforma à Sua própria Natureza espiritual e ao trabalho espiritual que deve ser inquestionavelmente completado. Sendo espiritual, essa arma é “poderosa em Deus“. Um corte pela Palavra de Deus irá cortar ao meio o espírito de um homem da cabeça aos pés, de tão afiada que é essa espada! Mesmo depois de longa prática no pecado, nos quais os homens talvez tenham se revestido com uma malha impenetrável, ainda assim a Palavra do Senhor irá dividir o ferro bem-temperado e o aço. O Espírito Santo pode fazer um homem sentir o poder Divino da santa Palavra bem no centro de seu ser!

Para batalhas contra os espíritos dos homens, ou contra espíritos infernais, não há arma tão afiada, tão cortante, tão capaz de dividir juntas e medulas, tão penetrante a ponto de discernir os pensamentos e propósitos do coração. A Palavra, nas mãos do Espírito, não faz nenhuma ferida superficial, mas corta no coração do homem, e assim o fere em um lugar onde só há cura por poder sobrenatural! A consciência ferida irá sangrar; suas dores serão sobre ele dia e noite; e por mais que ele busque por milhares de remédios, apenas um pode curar a ferida aberta que essa terrível espada provocou. Essa espada tem dois gumes – de fato, é cortante em todos os pontos – e de qualquer forma que acerte, fere e mata. Não há nada semelhante a uma superfície lisa na espada do Espírito – ela tem um lado cortante de fora a fora. Cuidado como vocês a manejam, vocês críticos! Ela pode ferir até vocês. Irá lhes cortar até a vossa destruição, um dia desses, a não ser que vocês se convertam. Aquele que usa a Palavra nas batalhas do Senhor deve usá-la contra esperanças carnais e então golpear contra os temores da incredulidade. Deve golpear fortemente com uma lâmina, o amor ao pecado, e com a outra, o orgulho da justiça própria. É uma arma de vitória em todos os sentidos, essa extraordinária espada do Espírito de Deus!

A Palavra, dizemos, é a única espada que o espírito usa. Eu sei que o Espírito usa graciosos sermões, mas é apenas na proporção em que eles têm a Palavra de Deus neles. Eu sei que o Santo Espírito usa livros cristãos, mas apenas enquanto eles são a Palavra de Deus contada em outras linguagens. Convicção, conversão e consolação são ainda trabalhadas, mas apenas pela Palavra de Deus. Aprendam, pois, a sabedoria de usarem a Palavra de Deus para propósitos sagrados. O Espírito tem capacidade de sobra de falar de Si mesmo, além do que está escrito na Palavra. O Espírito Santo é Deus e, por isso, Ele é o maior espírito no universo. Toda a sabedoria reside nEle. Ele ensinou as leis que governam a Natureza e direcionam a Providência. O Santo Espírito é o grande professor dos espíritos humanos – Ele ensinou Bezalel e os artífices sem reconhecimento como fazerem as finas vestes e o trabalho em ouro e madeira para o Tabernáculo. Todas as artes e ciências são de pleno conhecimento dEle e infinitamente mais do que os homens poderiam jamais descobrir. Apesar disso Ele não irá usar essas coisas nessa controvérsia santa. No estabelecimento de Sua aliança com os homens, Ele não usa nem filosofia, nem ciência, nem retórica. Na contenda contra os poderes das trevas, “A espada do Espírito é a Palavra de Deus.” “Está escrito” é Sua atitude majestosa! Palavras que Deus falou por homens santos de antigamente e fez com que estivessem gravadas nas páginas sagradas – essas são as armas de guerra do Espírito! Esse Livro contém a Palavra de Deus e é a palavra de Deus – e o Santo Espírito a julga ser uma arma totalmente eficiente contra o mal que Ele a usa, e somente ela, como Sua espada no grande conflito com os poderes das trevas.

A Palavra é a espada do Espírito porque foi produzida por Ele mesmo. Ele não irá usar uma arma produzida pelo homem, temendo que a espada se vanglorie contra a mão que habilidosamente a maneja. O Espírito Santo revelou a mente de Deus à mente de homens santos. Ele falou a Palavra a seus corações e então Ele os fez pensar como Ele queria que pensassem e escrever o que Ele desejasse que escrevessem – e assim o que eles falaram e escreveram foi escrito e falado à medida que eram movidos pelo Espírito Santo. Bendito seja o Espírito Santo por adequadamente usar tantos escritores e ainda, Ele mesmo permanecer o verdadeiro autor dessa coleção de Livros sagrados! Somos gratos por Moisés, por Davi, por Isaías, por Paulo, por Pedro, por João, mas principalmente pelo superintendente Editor, àquele que no fundo é o Autor de todo o sagrado volume – o Espírito Santo!

Um guerreiro deve igualmente ser cuidadoso assim como Ele fez sua espada. Se um homem tivesse feito sua própria espada, tivesse temperado o metal, tivesse, ele mesmo, passado a lâmina por várias fornalhas, e a trabalhado até à perfeição – e, se ele fosse um habilidoso trabalhador, ele sentiria confiança em sua espada. Quando uma obra é feita, hoje em dia e, via de regra, mal-feita. Trabalho feito por contrato é normalmente mal-feito em um ou outro ponto. Mas quando um homem faz o trabalho por si mesmo, ele geralmente o fará completamente, e produzirá algo do qual ele possa depender. O Espírito Santo fez esse Livro, Ele mesmo – cada porção sua mostra Sua inicial e impressão – e assim Ele tem uma espada digna de Suas próprias mãos, uma verdadeira lâmina de Jerusalém de fabricação celestial. Ele se deleita em usar uma arma feita tão divinamente e Ele realmente a usa gloriosamente!

A palavra de Deus é também a espada do Espírito porque Ele a afia. É porque Ele está nela que ela é tão afiada e cortante. Eu acredito na inspiração das Sagradas Escrituras, não apenas para o dia em que ela foi escrita, mas além, e ainda no dia de hoje. Continua inspirada. O Espírito Santo ainda respira e sopra através das Palavras escolhidas. Eu lhes disse que essa espada é cortante em todos os pontos, e eu acrescentaria que é o Espírito que a faz ser assim. Não teria nenhuma lâmina se não fosse por Sua Presença dentro dela e Seu trabalho contínuo sobre ela. Quantas pessoas lêem suas Bíblias e não conseguem tirar melhor benefício delas do que se tivessem lido um velho almanaque! De fato, eles ficariam acordados mais facilmente diante de um velho político inglês do que sobre um capítulo da Bíblia. Os ministros do Evangelho devem pregar a Palavra de Deus em toda a sinceridade e pureza e, ainda, se o Espírito de Deus não estiver presente, nós deveríamos ao contrário ter pregado meramente assuntos morais, pois nenhum bem pode vir de nosso testemunho. O Santo Espírito anda numa carroça como a Escritura e não na locomotiva do pensamento moderno. A Escritura é a Arca da Aliança que contém os pratos de ouro do maná e também leva por cima a Luz Divina do brilho de Deus. O Espírito de Deus trabalha em, por, através e com a Palavra – e se nos mantermos nela, nós poderemos descansar certos de que o Espírito Santo estará conosco e fará nosso testemunho ser algo de poder. Vamos pedir que o bendito Espírito afie nossa pregação, senão falaremos muito e teremos pouco resultado! Ouça-nos esse pedido, Oh único Bendito!

É a espada do Espírito porque Ele somente pode nos instruir em como usá-la. Você pensa, jovem, que você pode pegar sua Bíblia e ir pregar com ela de uma vez, de forma apropriada e bem-sucedida? Você cometeu um erro presunçoso! Uma espada é uma arma que irá machucar o homem que se exibe com ela em mero orgulho nojento. Ninguém pode segurar a espada do Espírito corretamente a não ser o homem escolhido por Deus antes da fundação do mundo e o tenha treinado especialmente seus braços. Por isso, os eleitos de Deus são conhecidos – por amarem a Palavra de Deus e por terem reverência por ela – e discernirem-na das palavras dos homens. Olhe os cordeiros no campo, justo agora, e devem haver milhares de ovelhas e cordeiros, mas cada ovelha consegue achar sua própria mãe. Assim é também a um verdadeiro nascido de Deus que sabe onde procurar leite que irá nutrir sua alma. A ovelha de Cristo conhece a voz do seu pastor na Palavra e ela não seguirá um estranho, pois não conhece a voz dos estranhos. O povo exclusivo de Deus tem discernimento de descobrir e se regozijar na própria Palavra de Deus. Eles não serão enganados pelos artifícios humanos! Santos sabem as Escrituras por instinto interior. A vida santa, que Deus infundiu nos crentes pelo Santo Espírito, ama as Escrituras, e aprende a usá-la para santos propósitos.

Jovem soldado, você deve ir ao campo de treinamento do Espírito Santo para se transformar num eficiente espadachim. Você irá em vão para a metafísica ou para a lógica, pois nenhum dos dois podem lhe dizer como segurar uma arma espiritual. Em outras artes podem ser mestres, mas no uso sagrado da divina teologia, eles são meros ignorantes! Nos assuntos da Palavra somos estúpidos até entrarmos na escola do Espírito Santo. Ele tem que pegar as coisas referentes a Cristo e mostrá-las a nós. Ele deve nos ensinar como manejar essa espada pela fé e como segurá-la com vigilância, para se evadir da pressão do adversário e levar a guerra ao território inimigo. É bem ensinado aquele que consegue facilmente manejá-la para frente e para trás e subjugar uma coluna inteira através do cerco de seus oponentes, e sair como um vencedor no final. Talvez tome muito tempo para aprender essa arte, mas nós temos um habilidoso Professor. Aqueles de nós que participam dessa guerra há 30 ou 40 anos, sentimos que ainda não chegamos ao aproveitamento total dessa espada! Não, eu, por exemplo, sei que preciso ser ensinado diariamente como usar essa arma misteriosa que é capaz de tanto, muito mais do que eu jamais supus. É a espada do Espírito, adaptada ao uso de um braço Todo Poderoso e, igualmente, capaz de fazer muito mais do que pensamos. Santo Espírito, ensina-nos hoje as habilidades bélicas, por isso, Sua palavra!

Mas, principalmente, é a espada o Espírito porque Ele é o Grande mestre em seu uso. Oh, que Ele possa vir e nos mostrar, essa manhã, como Ele pode golpear e talhar com ela! Nesta casa de oração O temos visto frequentemente Em Seu trabalho. Aqui a carnificina do Senhor tem sido numerosa. Temos visto essa espada tirar a cabeça de várias dúvidas Goliáticas e cortar ao meio uma horda de preocupações e incredulidades! Temos visto o Espírito fazer pilhas e pilhas de assassinados quando a Palavra de convicção tem ido adiante – e homens têm visto o pecado como pecado – e caído como mortos diante do Senhor e Sua Lei. Também sabemos o que o uso da espada do Espírito de Deus significa, pois dentro de nós mesmos Ele deixou marcas de Sua habilidade. Ele matou nossas dúvidas e temores e não deixou mais a nos incomodar nenhuma resistência a acreditarmos.

Havia um homem de Deus que era frequentemente sujeito a dúvidas, mesmo dúvidas sobre os fundamentos da religião. Ele odiava esse estado de mente, mas ainda assim, ele não conseguia se ver livre do hábito de questionar maldosamente. Em resposta a orações, o Espírito veio e o convenceu do seu orgulho intelectual e da insubmissão de estabelecer seu próprio julgamento contra a Palavra de Deus – e daquele dia em diante ele nunca mais foi vítima de sequer outra pista de incredulidade! Ele viu claramente as coisas com a Luz do Espírito Santo e isso é ver as coisas de fato! O grande gigante da dúvida é gravemente ferido pela espada do Espírito – sim, ele é cortado inteiramente – pois o Espírito trabalha no crente uma convicção da Verdade de Deus que asseguradamente bane suspeitas! Quando o Espírito Santo lida com a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, estes todos caem a Seus pés, troféus ao poder de Sua grandiosa arma, diante da Palavra de Deus! O Santo Espírito é glorioso ao usar essa espada. Ele sabe que essa arma encaixa em Sua mão e ele não anseia outra! Vamos usá-la, também, e nos alegrarmos em fazê-lo. Difícil é a espada do Espírito, mas nossa trêmula mão deve segurá-la. Sim, e encontrar, em segurá-la, que algo do Divino poder passe através de nosso braço!

Queridos irmãos e irmãs, não é uma grande honra colocada sobre nós, como soldados da Cruz, que vocês tenham tido permissão, não, tenham sido ordenados a tomar a espada do Espírito? Ao recruta novato não é confiada a espada do general, mas aqui estão vocês, armados com a arma de Deus, o Espírito Santo, e chamados para erguer a espada sagrada que é tão gloriosamente manejada pelo Senhor Deus, Ele mesmo! É isso que devemos usar, e nada mais. Se o tímido coração pergunta, “Como, meu Mestre, eu devo lutar contra os adversários“? “Aqui“, diz o Espírito Santo, “use isto! Essa é minha própria espada. Eu fiz grandes maravilhas com ela. Use-a e nada ficará de pé contra você.” Quando vocês lembram o potencial dessa espada. Quando o Espírito a testa sobre vocês, vocês devem tomá-la com confiança, e usá-la na sua guerra santa com total segurança. Essa Palavra de Deus que pôde converter você, pode converter qualquer um! Se pôde matar seu desespero, pode remover a desesperança de qualquer outro homem. Se conquistou seu orgulho e desejo próprio, pode subjugar o mesmo em seus filhos e em seus vizinhos. Tendo feito o que certamente fez em você, você deve estar plenamente persuadido que, diante desse poder, nenhum caso está perdido. Por isso, veja que você use, de hoje em diante, nenhuma outra arma além da espada do Espírito, que é a Palavra de Deus.

II. Isso leva-nos imediatamente à segunda porção de meu discurso. A Palavra de Deus é a espada do Espírito, mas TEM DE SER TAMBÉM NOSSA ESPADA.

Aqui eu devo começar de novo e ir muito além no mesmo campo. Precisaremos de uma espada. Nossa batalha não é brincadeira de criança – é coisa séria. Temos de lidar com inimigos terríveis que só podem ser encontrados com armas afiadas. Punhos não estarão à altura – precisamos cortar com uma espada. Você pode ser de um espírito bem quieto, mas seus adversários não o são! Se você tentar brincar na guerra cristã, eles não irão brincar. Encontrar os poderes das trevas não é qualquer coisa. Eles intentam roubar, matar e destruir. Nada além de nossa danação eterna irá satisfazer os corações selvagens de Satã e sua turba. Vocês não devem segurar um estandarte, ou bater um tambor, mas usar uma espada e uma espada especialmente afiada. Nesse combate vocês terão de usar uma espada que mesmo maus espíritos possam sentir, capaz de discernir entre alma e espírito, juntas e medulas. Se vocês desejam participar deste conflito e sair vitoriosos, nenhuma forma de conflito será suficiente se menor que o trabalho de cortar com uma espada afiada.

Dependa dessa espada, pois nesse confronto vocês serão forçados a lutar a curta distância. O inimigo mira em seus corações e os empurra para casa. Uma lança não fará o serviço, nem arco e flecha – o inimigo está muito perto para qualquer coisa que não uma luta mano a mano. Irmãos e irmãs, nossos inimigos não estão somente na nossa casa, mas em nossos corações! Eu encontro um inimigo dentro de mim que está sempre perto e eu não consigo ficar longe dele. Eu penso que meu antagonista irá pegar meu pescoço se puder. Se nossos inimigos estivessem longe o bastante e pudessem ser atingidos por artilharia que matasse a seis ou sete milhas, nós viveríamos uma vida bem fácil. Mas não, eles estão aqui! Dentro de nós! Sim, dentro de nós – mais perto que mãos ou pés. Para a espada curta! A adaga da Sagrada Escritura, para ferir e cortar, aqui e agora. Nenhuma funda e pedra irá nos ajudar aqui; antes, temos de tomar a espada. Você tem de matar seu inimigo, ou ele irá matar você! É para nós cristãos como para os israelitas na batalha, quando o líder deles os chamava, “colegas, ali estão eles! Se vocês não os matarem eles irão matar vocês.” Não há lugar para a paz – é guerra na faca, não apenas agora, mas até o fim da vida!

O uso da espada é necessário para o ataque. Já lhes alertei diversas vezes que não será suficiente ao cristão de se guardar do pecado e evadir a tentação de si mesmo – ele tem de atacar os poderes do mal. No nosso caso, o melhor método para defesa é o ataque. Eu ouvi falar de alguém que abriu uma ação na justiça para seus próprios fins, pois ele pensou que era melhor assim que ser o réu. É talvez uma questão de tempo, mas na guerra normalmente é mais seguro atacar que defender. Leve a batalha ao território inimigo. Tente ganhar do adversário e ele não conseguirá muito contra você. Não sejam vocês somente sóbrios, ataquem a bebedeira. Não se contentem em se verem livres de superstições, vocês mesmos, mas a exponha aonde quer que aconteça! Não seja devoto apenas quando você se sente obrigado a sê-lo, mas ore pelo crescimento do reino – ore em todo o tempo! Não diga somente “Eu vou manter Satanás longe da minha família educando meus filhos corretamente“, mas vá à escola dominical e ensine outras crianças, e assim leve a guerra para a outra fronteira!  Deus nos proibiu de irmos à guerra como uma nação! Mas se estivéssemos em guerra com alguma nação do continente, eu certamente diria “deixem os continentais terem uma guerra em seu próprio quintal – não queremos uma campanha aqui” [1]. É mais sábio deixar a guerra nas fronteiras do próprio inimigo. Se tivéssemos mais contra o demônio pelo mundo, talvez ele nunca tivesse sido capaz de invadir a igreja tão terrivelmente como fez. Ataque com a espada, pois esse é o seu chamado, e assim você irá se defender melhor.

Nós precisamos da espada para uma luta de verdade. Vocês acham que para chegar aos céus basta sonhar? Ou passear na biga da facilidade? Ou voar ao som de música instrumental? Vocês cometem um grande erro imaginando assim. Uma verdadeira guerra está acontecendo! Seu oponente é seriamente mortal e você precisa tomar sua espada!

E, além disso, nós precisamos dessa espada, a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus. Dizemos como Davi, “Não há nada igual; dê-me a mim.” Já realizou tais maravilhas que a preferimos a qualquer outra. Nenhuma outra será párea para as armas do inimigo. Se lutarmos com o demônio com a razão humana, a primeira vez que nossas espadas de madeira entrar em contato com uma tentação satânica será cortada em pedacinhos! Se vocês não manejarem bem uma espada de Jerusalém, vocês estão em grave perigo – sua arma irá quebrar no cabo – e onde você estará? Indefeso, com nada além do cabo de uma espada quebrada na sua mão, você será alvo de ridicularização do adversário! Você tem de tomar esta espada, pois nenhuma outra irá penetrar o inimigo, e nenhuma outra durará todo o combate. Depois de 20 anos, o que aconteceu com as vossas resoluções piedosas da juventude? Onde está o poder da consagração feita na hora do entusiasmo? Aliás, quão pouca confiança pode ser posta nela! O que aconteceria conosco depois de 30 anos de lutas se não tivéssemos a Palavra de Deus para nos apoiar? A Palavra do Senhor dura para sempre, mas nada mais o faz. Talvez consigamos fazer bonito no começo, mas falharemos na velhice se não temos as eternas Verdades de Deus para nos amparar.

Eu posso recomendar essa espada a vocês todos, meus irmãos e irmãs, apesar de vocês serem tão diferentes uns dos outros. Essa espada cabe em todas as mãos perfeitamente. Jovens e velhos devem, igualmente, usar essa arma. Essas queridas meninas do orfanato[2] e jovens moças da classe bíblica, devem lutar a luta de sua juventude com a Palavra de Deus, pois que as Escrituras Sagradas devem imprimir e guiar a nossa vida na tenra idade. Vocês que cresceram cabelos grisalhos. Vocês que passaram os 70 ou 80, vocês vão valorizar a Bíblia mais do que nunca e vão descobrir que essa espada é a melhor para guerreiros veteranos. Jovens rapazes e moças, aqui está uma espada apropriada para todos vocês, e é também assim para o mais fraco e gentil! O Espírito Santo, na Palavra sagrada, preparou uma indumentária de guerra que cai bem em grandes mentes e em pequenas, para os cultos e os analfabetos. Uma espada maravilhosa é essa, que, nas mãos da fé, revela uma adaptação em qualquer circunstância!

O que quer que os outros digam, é suficiente a nós que essa seja a espada regular. Um soldado não recebe permissão para escolher seu armamento. Ele deve carregar as armas que o seu superior lhe ordenar. Essa é a espada designada no exército de Cristo. A espada do Espírito, que é a Palavra de Deus, é o que vocês são chamados a tomar e, se vocês, deliberadamente, resolverem trocá-la por outra, vocês cometem um ato de rebelião e fazem a troca por sua própria conta e risco! Venham, então, vamos cada um tomar a Palavra de Deus e carregá-la mais próxima de nossos corações que nunca, pois essa é a Palavra de ordem, “Tomai a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus.”

Agora, prestem atenção ao que somos chamados a fazer. Nós precisamos de uma espada. Nós precisamos dessa espada. Nós temos de tomar essa espada. Note que não somos exortados a deixá-la no chão – a ordem de tomar a espada é contínua e não há nenhuma pista de que a ordem tenha sido suspensa. Haverá um tempo, é claro, quando o soldado de Sua Majestade deve deixar a espada e deixar sua farda, mas não existe um tempo desses para o cristão! Alguém pode ter pensado, do que temos visto ultimamente, que ordens têm vindo do quartel-general para que os soldados deixem de lado a espada do Espírito, a Palavra de Deus, e tomar armas mais leves. Entretenimentos, shows, teatros, grupos de louvor agora são usados para fazer o que o Evangelho falhou em conseguir! Isso não é trágico? Bem, se querem tentar usar esses brinquedos frívolos, eu só posso dizer que eles não receberam nenhuma ordem de seu Senhor para autorizá-los em seus procedimentos. Tomem todas essas coisas e vejam o que irão fazer, mas vocês fazem a tentativa por sua conta e risco, e sobre suas cabeças o resultado do fracasso irá cair.

As ordens que permanecem são de que vocês tomem a espada do Espírito e nenhum novo regulamento jamais foi emitido pelo grande Capitão da salvação. Dos dias de Paulo até hoje, a Palavra permanece, “Tomai a espada do Espírito.” Todas as outras coisas com certeza irão falhar e, por isso, o único e perseverante comando é, “Tomai a espada do Espírito.” Não nos foi dito para tomar essa espada para nos exibirmos. Certas pessoas têm uma lindíssima Bíblia para colocar sobre a mesa da melhor sala – e é um belo ornamento! Uma Bíblia familiar é um tesouro! Mas eu vos exorto, não deixem o amor de vocês pela Bíblia acabar aí. Com o soldado na guerra, a espada não tem a finalidade de ser deixada na tenda, nem ser exibida com golpes no ar, mas é encomendada para ser usada. Nem nós devemos colocá-la numa bainha, como muitos fazem, ao pegar a bíblia e adicionar tanto criticismo, ou sua própria opinião a respeito, que seu fio não é sentido! Muitos homens usam sua baixa opinião acerca da Inspiração como uma bainha em que eles embainham a Bíblia. Seu vasto conhecimento forma uma linda bainha e eles empurram adentro a espada, dizendo, “Fique parada, aí! Oh Espada do Senhor, descanse e fique quieta!” Depois de pregarmos com todo o coração, e os homens terem sentido o poder dela, eles fazem um esforço desesperado para prender a Palavra nas suas teorias de incredulidade, ou em seu mundanismo. Eles seguram firmemente a Palavra durante a semana com uma mão forte, por temerem que seu fio ou sua ponta pudesse feri-los. É a bainha da cultura, ou da filosofia, ou do progresso – e assim eles calam a boca da viva Palavra de Deus como em um caixão!

Nós não podemos enterrar a Palavra debaixo de outros fatores, mas temos que tomá-la como uma espada, o que significa, a meu ver, primeiramente, acreditar nela. Acreditar em cada pedaço dela. Acreditar com uma fé verdadeira e confiante, não como uma mera fé de credo que diz, “Essa é a ortodoxia.” Acreditem como um fato todos os dias, afetando suas vidas. Acreditem nela! E quando vocês tiverem acreditado, estudem-na. Oh, para um estudo mais perto da Palavra de Deus! Haverá alguns de vocês que talvez nunca tenham nem ouvido ou lido tudo que o Senhor disse? Há ainda passagens na Bíblia que você nunca leu? É um fato muito triste que talvez haja uma linha sequer das Sagradas Escrituras que nunca passou pelos vossos olhos. Leiam a Bíblia toda, de capa a capa.

Comecem amanhã – não, comecem hoje – e continuem sempre em frente à totalidade do Livro sagrado, em oração e meditação. Nunca se permita que Deus tenha gravado Verdades em Sua Palavra que você nunca leu ao menos uma vez. Estude a palavra e trabalhe no entendimento de seu significado. Vá fundo ao espírito da Inspiração. Aquele que cava mais fundo na mina é o que consegue mais ouro dela. Eles costumavam dizer de certas minas de Cornwall que o quanto mais profundo você fosse, mais rico era o cobre. Certamente é o mesmo nas minas das Escrituras Inspiradas. Quanto mais fundo você vai guiado pelo Espírito, maior é a recompensa à sua empreitada. Tomai a espada com a firmeza de uma fé sincera. Segure-a bem por um conhecimento mais completo. Então exercite-se diariamente no seu uso. A espada é para ser tomada para lutas sérias. Vocês não estarão longe das circunstâncias que se levantarão num mundo como esse. Vocês vão ter de duelar com ela, fatiar com ela, cortar com ela e matar com ela. “Por onde devo começar?” diz um. Comece em casa e, durante o dia inteiro, você estará ocupado! Quando você tiver aniquilado todos os rebeldes em casa e desejar fazê-lo, você deve se aventurar por aqueles perto de você no mundo, e na igreja professa.

Dentro de seu próprio coração você irá achar um bando de bandidos que deve ser exterminado. Haverá sempre a necessidade de manter a espada entrando em seu próprio território. Acabe com essa guerra civil antes de ir a território estrangeiro. Quando a guerra dentro da cidade de AlmaHumana[1] tiver sido vitoriosamente carregada para fora, cerque o coração de seu amigo, seu filho, seu vizinho. Cuidado, o mundo jaz no maligno, governado pelo grande rebelde! Erros abundam e sistemas colossais de falsidade ainda permanecem em pontos elevados. Os homens ainda são derrotados pelo arqui-inimigo. Com certeza, nós sentimos nossas espadas voando de suas bainhas quando pensamos nos milhões que estão sendo destruídos pelo pecado e pelo engano! Oh, por uma poderosa carnificina sobre os poderes das trevas!

Uma vez mais, nós tomamos essa espada com um objetivo. Haveremos de usá-la de tal forma que devemos permanecer e resistir. Se você quer permanecer, desembainhe a espada e acabe com suas dúvidas. Quão fortes são os ataques de incredulidade! Eis que vem uma dúvida sobre sua eleição. Fatie-a totalmente com a Palavra. Logo vem a dúvida sobre o sangue precioso. Corte-a da cabeça aos pés com a segurança da Palavra de que o sangue de Jesus nos limpa inteiramente de todo pecado! Então vêm outra dúvida e depois outra. Tão rápido quanto o braço pode se mover, use textos da Escritura contra cada nova falácia, a toda nova negação da Verdade de Deus e cuspa todas elas pela espada da Palavra! Será bom para você acabar com essas dúvidas o quanto antes aparecerem. Não brinquem com elas, mas lute com elas com vontade! Você irá encontrar, além disso, que tentações virão em hordas. Encontre-as com os preceitos das sagradas Letras e mate até o desejo do mal pela aplicação do Espírito com a Santa Palavra! A lavagem nas águas pela palavra é uma gloriosa limpeza. Covardias irão surgir como a névoa na manhã. Oh, que a Palavra de Deus expulse-as com as sementes das promessas! Suas aflições multiplicam e você nunca será capaz de vencer a impaciência e desconfiança a não ser pela Infalível Palavra de Deus. Você pode usá-la e conseguir paciência, se você usar essa arma para matar a ansiedade. Você irá “Permanecer no dia mau” e, depois de ter feito tudo, você permanecerá, se a espada estiver em suas mãos.

Vocês não devem somente permanecer firmes vocês mesmos, mas têm de conquistar almas para Cristo! Não tente vencer o pecado nos outros, nem conquistar um coração para Cristo exceto com a espada do Espírito. Como o demônio ri quando você tenta fazer convertidos sem usar as Escrituras Sagradas e o Espírito Santo. Ele gargalha, eu digo, por comentar a nossa tolice. O que você pode fazer, criança, brincando com suas espadas de madeira – o que você pode fazer contra homens cobertos dos pés à cabeça com a armadura de aço do hábito do pecado? Professores de escola dominical, ensinem seus alunos cada vez mais a pura Palavra de Deus! E pregadores, não tentem ser originais, mas se contentem em pegar as coisas de Cristo e expor às pessoas, pois é isso que o próprio Espírito Santo faz – e vocês serão sábios em usar Seu método e Sua espada. Nenhum pecador em volta de vocês será salvo exceto pelo conhecimento da grande Verdade contida na Palavra de Deus. Nenhum homem jamais será trazido ao arrependimento, à fé e à vida em Cristo, senão pela constante aplicação da Verdade pelo Espírito.

Eu ouço grande alarde, grande gritaria em todo o lugar, sobre grandes coisas que hão de ser feitas – vamos ver, então! O mundo inteiro será abraçado para dentro da igreja, é o que dizem. Eu temo que o mundo não será a melhor coisa para se incluir dentro da igreja! Grandes orgulhosos deveriam prestar atenção aos sábios, “Não permita que aquele que coloca a sela se orgulhe à medida que a retira.” Se o espadachim bem-treinado vai para a batalha com qualquer coisa que não a Palavra de Deus, é melhor ele não se vangloriar, pois ele irá voltar com sua espada quebrada, seu escudo jogado longe, e ele mesmo coberto de desonra. A derrota espera aquele homem que ignora a Palavra do Senhor!

Eu já lhes disse e lhes peço para lembrar que o texto está no tempo presente – Tomai a espada do Espírito agora mesmo. Quantas pessoas diferentes estão aqui esta manhã! Crentes vieram aqui em toda sorte de perigos. Deixemos então cada um tomar a espada do Espírito e eles vencerão todos os inimigos! Aqui, há também pessoas desejosas de se tornarem cristãs, mas não têm direção. Qual é o problema essa manhã? “Oh,” diz alguém, “Eu tenho estado na prática do pecado, e o hábito é muito forte sobre mim.” Lute com hábitos pecaminosos com a Palavra de Deus, que é a espada do Espírito – somente assim você irá conquistar o seu eu maligno. Ache um texto das Escrituras que subjugue seu pecado, ou finque-o no coração. “Apesar de tudo, Satanás me tenta horrivelmente,” chora alguém, “Eu tenho sido violentamente assediado de várias formas.” É mesmo? Você não é o primeiro. Nosso Divino Senhor em sua fraqueza foi tentado pelo diabo. Ele poderia ter lutado com Satanás com várias armas, mas ele escolheu para vencê-lo uma somente. Ele disse, “Está escrito. Está escrito. Está escrito. Está escrito.” Ele deixou totalmente em pedaços o inimigo com essa ponta afiada que o arqui-inimigo pensou em usar a mesma espada – e ele mesmo começou a dizer, “Está escrito.” Mas ele cortou a si mesmo com essa espada, pois ele não citou as passagens corretamente, nem deu todo o seu conteúdo – e o Mestre achou rapidamente uma forma de tirar a espada de sua mão e feri-lo novamente.

Siga o exemplo do nosso Senhor. “Oh, mas,” diz alguém, “Eu sou tão fraco de espíritos.” Muito bem. Lute com a fraqueza de espíritos com a Palavra de Deus. “O médico me recomendou,” diz um, “tomar alguns espíritos para nutrir meus espíritos.” Esses médicos estão sempre tendo esse pecado deitado na sua função. Eu não estou tão certo de que eles não são normalmente malignos. Você gosta da dose e é por isso que você a toma! Experimente a Palavra de Deus para baixeza de espíritos e você terá encontrado um remédio apropriado. Eu encontro, se eu consigo colocar uma promessa da Palavra de Deus debaixo da minha língua, como uma bala para a garganta, e a mantenho na boca ou mente durante todo o dia, e eu estou mais que satisfeito. Se eu não consigo encontrar uma Escritura para me confortar, então meus problemas interiores se multiplicam. Lute contra a desesperança e o desespero com a espada do Espírito. Eu não seria capaz de contar qual é a sua dificuldade particular neste momento, mas eu lhes dou essa direção para todos os combates dos santos – “Tomai a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus“.

Você deve vencer todo tipo de inimigo, mas essa arma é tudo o que você precisa! Se você, meu ouvinte, quiser vencer o pecado e derrotar a incredulidade, receba uma palavra como essa, “Olhem para Mim, e sejam salvos, todos os confins da terra.” E se você olhar você será salvo – e a dúvida irá morrer – e o pecado será morto! Deus lhe deu a ajuda do Santo Espírito, para a glória de Cristo! Amém.

Leitura bíblica antes do sermão: Efésios 6.


FONTE:

Traduzido do espanhol The Sword of the Spirit, de http://www.spurgeon.org http://www.spurgeon.org/sermons/2201.htm

Todo direito de tradução protegido por lei internacional de domínio público

Sermão nº 2201—Volume 46 do Metropolitan Tabernacle Pulpit

Tradução: Daniel Campos Cardoso Afonso

Revisão: Marcus Paolo Diel Rios

Prova e diagramação: Armando Marcos Pinto


[1] Referência ao Livro “Guerra Santa” de John Bunyan (mesmo autor de “O Peregrino” ) é também uma alegoria

2 ideias sobre “A Espada do Espírito

  1. Pingback: A Espada do Espirito (sermão em video) | Projeto Spurgeon

  2. Não existe fórmulas discursivas para batalha espiritual,visto que a criatura humana fora feito para um relacionamento pessoal com nada mais nada menos do que o seu ciador,isso faz com que cada criatura tenha seu nível de luta de acordo com as suas experiências com Deus,quanto maior for essa experiência maior também será seu resplandescimento que por sua vez maior será suas batalhas,cada um contribuirá para acrescentar o que falta no outro sem que as experiências de cada um se torne nescessariamente uma fórmula de condutas e práticas visto que no relacionamento pessoal com Deus vingará a sua onicompetência deixando o restante para ser completado pelos membros do corpo enquanto isso o inimigo atacará para cismas e divergências,orgulho da experiência como detentor de todo resplandescimento,ou dos saberes acadêmicos sobre Deus e suas doutrinas como se tivesse toda a perícia acerca de Deus e sem esses conhecimentos é só desvios,fanátismos e herezias;É meus irmãos a luta é muito grande ainda no âmbito interior,mais é importante sabermos o Cristianismo é inistitussonalizável,é de fato uma Entidade independente cuja essência é a Soberania do Senhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>